(61) 3035 9900

Alerta para o mês da mulher: Aumentam casos de Fibrilação Atrial em mulheres

Quando se trata de saúde da mulher, o coração também merece grande atenção e os especialistas de cardiologia fazem um alerta. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Brasileira de Cardiologia (SBC), os casos de fibrilação atrial tiveram um aumento de 66% nos dois últimos anos e que o maior número de vítimas são mulheres jovens, entre 15 a 44 anos.A Fibrilação Atrial se trata de uma frequência cardíaca irregular, onde os principais sintomas são fadiga, dor no peito, falta de ar, cansaço, desmaio e tontura. Na maioria dos casos, a FA acontece porque a frequência cardíaca das câmaras superiores do coração não funciona em um ritmo de contração regular e com sincronia, sendo que os átrios fibrilam. Essa característica foi a responsável pelo nome dado ao episódio.

Além de ser fatal, o problema cardíaco aumenta em cinco vezes o risco de AVC, pois ele promove a formação de coágulos na corrente sanguínea. As arritmias também estão ligadas a outros graves problemas de saúde, como infarto e derrame cerebral, e podem levar a óbito.Diante de jornadas extensas de trabalhos e uma rotina acelerada, as mulheres muitas vezes ignoram os sintomas que o coração dá, desencadeando problemas de saúde sérios como as arritmias. Rotinas intensas expõem as mulheres a um alto nível de estresse, associado ao sedentarismo e má alimentação, aumentando mais ainda as chances de desenvolver um problema cardíaco.

  • Agravante nas mulheres:

De acordo com dados das Diretrizes Brasileiras de Fibrilação Atrial, as mulheres representam maior massa de pacientes com FA, devido à sua maior sobrevida. Além disso, é conhecida a maior susceptibilidade a fenômenos tromboembólicos e a mortalidade observada no sexo feminino.Segundo o médico cardiologista do ICTCOR – Instituto do Coração de Taguatinga – DF, Dr. Tamer Seixas, a Fibrilação Atrial é uma arritmia de grande importância na prática, seja pela sua prevalência, seja pelos riscos associados a esta arritmia. Neste caso, as mulheres precisam redobrar a atenção aos sintomas de doenças cardiovasculares que geralmente são confundidos com outros males e fazer os exames preventivos regularmente. “Muitas pacientes chegam na emergência se queixando de dores na coluna, cansaço e contam que se automedicaram.  A ordem é não ignorar os sinais que o corpo dá”. Explica o especialista.


Serviço

ICTCOR – Instituto do coração de Taguatinga
Horário de Funcionamento: De Segunda a Sexta – Feira de 08:00 às 18:00.
Ambulatório/Hemodinâmica/Eletrofisiologia:
Emergência e Urgência: 24h em parceria com o Centro Cardiológico Anchieta (Pronto-Socorro)
Hospital Anchieta – Centro de Excelência 4º andar
Endereço: Taguatinga Norte – Setor “C Norte” – Área Especial 08/09/10
Telefone: (61) 3035 9900
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Fonte: Brasília De Fato

Horário de Funcionamento:

Exames e Procedimentos Eletivos

De Segunda a Sexta-Feira de 8h00 às 18h00

Hospital Anchieta - Centro de Excelência 4º andar

(61) 3035 9900 / (61) 3035 9901

Emergência e Urgência: 24h

Pronto Socorro do Hospital Anchieta

(61) 3353 9000

Ambulatório: Consultas e Pareceres

De Segunda a Sexta-Feira de 8h00 às 18h00

Hospital Anchieta - Centro de Excelência 8º andar
Torre B - Sala 816
Clínica Cárddio - Guichês 6 e 7

(61) 3035 9929 / (61) 3035 9930

Contato

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Política de Privacidade